Blog

Contrato um Coach ou Mentor?

COACH MENTOR

 

De um modo geral, é natural que as pessoas confundam as figuras Coach e “Mentor” no momento em que buscam apoio profissional. Essa dúvida ocorre porque ambas possuem a mesma finalidade: apoiar as pessoas a conseguir lidar com suas limitações, resolver problemas e alcançar os seus objetivos.

Portanto, cabe eticamente ao profissional escolhido e que recebe o cliente, normalmente num contato prévio e pro-bono, para a busca do entendimento das eventuais demandas ou necessidades, promover as distinções e os esclarecimentos que se fizerem necessários.  Mesmo que esses dois termos (Coaching e Mentoring) possam parecer similares para uma pessoa leiga no assunto, as metodologias utilizadas possuem características e qualidades, em termos de alcance, bem distintas.

Às vezes percebemos no mercado, com o número crescente de ofertas de cursos de coaching, profissionais com formações teóricas de curto prazo, pouca experiência prática e compreensão do alcance destas metodologias. Tais profissionais, no afã de agarrar a oportunidade de trabalho e de não perder o cliente, aventuram-se a criar uma polivalência na forma de atuação, “metendo os pés pelas mãos”. Essa situação é incompatível com as exigências para o adequado exercício do Coaching Profissional, tendo por base o código de ética e as competências essenciais elaboradas e cobradas pela International Coach Federation – ICF (www.coachfederation.org) de seus associados e credenciados.

Espera-se que o profissional saiba discernir o que é cada metodologia, seus objetivos principais e particularidades na forma de atuação prática, estando apto a esclarecer quando a situação requer a parceria de um Coach ou, quando de fato requer a ajuda/apoio/orientação de um Mentor. Sendo assim, de forma sucinta, com base em minha vivência profissional e formação como Coach, passo a diferenciar as principais bases para a escolha do profissional adequado para cada tipo de realidade apresentada pelo cliente.

Quem precisa contratar um Coach?

São diversas razões para contratar um Coach, também denominado na tradução literal, “treinador”. Uma pessoa busca este profissional para tratar questões ou situações de caráter pessoal e profissional ou, muitas vezes, ambos por estarem intimamente ligados, bem como por acreditar ser importante para o seu desenvolvimento e qualidade de vida, vale dizer, qualquer que seja a sua necessidade. Diferente de um mentor, um Coach não precisa necessariamente ter experiência ou ser um especialista na área de atuação de seu cliente e tampouco aconselhar, dar orientações ou soluções para os seus problemas.

O Coach (profissional contratado) procura apoiar e auxiliar através de perguntas e técnicas poderosas seu cliente (denominado Coachee) a sair do estado atual (onde a pessoa está) para o estado desejado (onde gostaria de chegar). É um processo com início, meio e fim, definido em comum acordo entre o Coach e o Coachee de acordo com a meta desejada pelo cliente, onde o Coach o estimula na busca do autoconhecimento e na elaboração do plano de ação de autodesenvolvimento de curto, médio e/ou longo prazo. Isso se dá através da identificação e do uso das próprias competências desenvolvidas, como também pelo reconhecimento das necessidades superação de suas dificuldades ou vulnerabilidades.

Desde o início, o Coachee  deve estar ciente de que o objetivo do processo está na busca de solução e não dos problemas. O que se busca obter são possibilidades futuras, como transformá-las em realidade e ações.

O processo é orientado ao futuro e será conduzido normalmente através de sessões que podem ser semanais, quinzenais ou até mensais. O Coach é o responsável pela condução do processo, mas, respeitando a agenda e necessidades do cliente, protagonista e razão de ser do trabalho. O coach deve estar empenhado em ajudar, estimular e facilitar a evolução e transformação do seu cliente, mas não pode fazer, decidir ou agir por ele (base essencial do processo de coaching).

Para acontecer de fato um processo de coaching torna-se necessário levar em conta, essencialmente, os seguintes pontos:

  • Não há processo de Coaching se não existe algo para se desenvolver – uma demanda/necessidade, desejo ou meta a ser alcançada;
  • O sucesso do trabalho tem relação direta com o grau de confiança que se consegue estabelecer na relação CoachCoachee;
  • É uma relação baseada em um padrão de conduta ética;
  • A relação entre o Coach e Coachee deve ser pautada pela clareza de papéis, objetivos e transparência de propósitos;
  • O contrato prévio transparente entre as partes é fundamental para o sucesso do processo;
  • Respeito incondicional do Coach em relação aos pensamentos, aos sentimentos e às opiniões do cliente. Não há julgamento nem avaliação;
  • Confidencialidade quanto ao conteúdo dos assuntos tratados nas sessões;
  • O trabalho desenvolvido é avaliado pelo Coachee durante e ao final do processo.

Quem precisa contratar um Mentor?

O processo de Mentoring  também é muito requisitado, porquanto se configura como uma espécie de tutoria, no qual o profissional mais maduro, capacitado e experiente orienta e compartilha as suas experiências e os seus conhecimentos (expertise) no intuito de aconselhar, assessorar e desenvolver as decisões e ações de outra pessoa ou profissional menos experiente (por exemplo: sobre carreira).

Nesse contexto, tem-se que o mentor possui uma determinada expertise técnica e orienta o profissional a seguir uma linha de ação e decisão diante das situações, fornecendo sabedoria e aprendizados. A Mentoria pode incluir assessoria, aconselhamento e consultoria. Já o processo de Coaching não inclui assessoria ou aconselhamento. Ao contrário, concentra-se em uma parceria que ajuda indivíduos ou grupos a alcançar seus próprios objetivos. Outro aspecto que merece ser citado, é que a necessidade de um mentoring (especializado) pode ser uma consequência ou desdobramento de ações oriundas de um processo de Coaching.

Mesmo que as questões do cliente tenham um viés mais pessoal, esses ensinamentos acabam tendo um foco e aproveitamento na vida profissional do mentorado, apoiando-o diante de suas principais dificuldades e barreiras que possam estar atrapalhando o seu sucesso. Tal característica de atuação faz com que essa modalidade seja aplicada principalmente em casos mais específicos, diferenciando-se do Coaching que tem uma abordagem mais ampla e abrangente.

Outro aspecto que merece ser ressaltado entre as duas modalidades, é em relação ao tempo do processo.

No Mentoring não possui qualquer artifício que limite o número e o tempo em que as sessões serão realizadas. Enquanto no processo de Coaching, as etapas e o número de sessões são definidos já no primeiro encontro (quando estabelecido o acordo de Coaching), variando normalmente de 10 a 12 sessões de 90 minutos, podendo ser alteradas para mais ou para menos, dependendo da evolução do processo.

Finalmente, espero que esta abordagem, em linhas gerais, tenha conseguido esclarecer as principais particularidades e distinções entre as duas modalidades de atuação – Coaching e Mentoring, propiciando maior acerto na escolha pelo cliente.

Nesta oportunidade, ainda recomendo, que na escolha do profissional para um atendimento tão importante, o cliente considere pelo menos contatos com três profissionais e que verifique principalmente: a experiência do profissional no tipo de atuação; o background profissional, a qualificação técnica, a abordagem, a metodologia e a experiência de vida em geral, além das referências para contato e de possíveis associações e credenciais junto entidades certificadoras, tais como a “ICF”.

A questão agora é com você.

A sua demanda será mais bem atendida por um Coach ou um Mentor?

Boa sorte na escolha!

Paulo Cesar Martin Guimarães – Coach PCC pela ICF (Internacional Coach Federation), Psicólogo Organizacional e bacharel em Direito, especialista em Gestão de Recursos Humanos pela FGV.  Atua como Coaching Executivo e de Carreira. É membro fundador da ICF – Capítulo Minas e sócio-consultor da Humana Consultoria Empresarial – Belo Horizonte-MG. Contato: 31-98797-6900 – e-mails: paulocesar@humanaconsultoria.com.br / paulo.martinguimaraes@gmail.com

Deixe uma Resposta

XHTML: Você pode utilizar essas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>